Agenda   Baphos   Instagram   Música   Notícias   Sensual   Shows   Twitter          FALE CONOSCO    DOAÇÕES

 

Notícias - Ex-Gogoboy Allan Pontelo morre após confusão na casa de shows Hangar 667 em BH 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Fez sucesso na noite LGBT entre 2011 e 2012 com shows na Josefine e Club Ferveção - Notícia virou manchete de todos os jornais de Minas e no Brasil

O ex-gogoboy Allan Pontelo, de 25 anos morreu, na madrugada do sábado (2.9), depois de uma confusão no Hangar 667 em BH. Ele usava codinome Apolo na época em que fazia shows entre 2011 e 2012, onde fez história na Josefine e no Club Ferveção em BH. De acordo com a Polícia Militar (PM), militares foram chamados ao local porque ele estaria portando drogas. Contudo, o corpo apresenta sinais de violência, e um amigo relatou agressões. Parentes afirmam que Allan Guimarães Pontelo foi espancado por seguranças. Ele era fisiculturista e estudante de educação física, segundo a família. O corpo passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) para determinar a causa da morte. 

De acordo com a Polícia Civil, o resultado da necropsia deve sair em 30 dias. Amostras de sangue e urina também serão analisadas. 

A boate Hangar 677 é uma espaço de eventos e fica localizada no bairro Olhos d'Água. Os advogados da empresa ainda não se manifestaram. 

A Polícia Civil ainda não informou detalhes sobre a perícia. Escoriações no corpo, manchas de sangue nos pés e na boca foram relatadas pela PM. Um correntinha usada pela vítima também estava suja de sangue, a calça e a blusa estavam rasgadas. 

De acordo com o tenente Jerry Adriane de Abreu, que atendeu a ocorrência, seguranças disseram que o rapaz foi portava cocaína e ecstasy e ficou muito agitado ao ser abordado. Ainda conforme o militar, falaram também que Allan teria ingerido substância entorpecente e pode ter falecido após ataque cardíaco. Há também a versão de um amigo da vítima que relata que o jovem foi abordado por três seguranças e levado para um local isolado, conforme o militar. A informação inicial é de que não há câmeras neste ponto, perto dos banheiros. 

Por volta das 11h, a PM informou que constava do boletim de ocorrência que o amigo disse ter sido intimidado por um dos seguranças que abordaram Allan no banheiro. A informação foi passada pela sala de imprensa da PM. No registro, o amigo afirma que o segurança encostou o cano de um revólver nele e pediu que sumisse. 

No boletim, o responsável pela equipe de segurança afirma que, ao ser abordado, Allan correu, pulou grades e caiu ao solo desacordado, segundo a PM. 

O pai e a namorada da vítima falaram emocionados sobre o caso. “Simplesmente foi uma brutalidade, um menino formando, estudando, trabalhando, saiu pra divertir”, disse Dênio Louis Pontello. Ele afirmou à reportagem que acredita que o filho foi assassinado. Afirmou também que, em revista policial, nenhuma droga foi encontrada no carro do filho. A namorada também afirma que teria havido agressão e pediu punição. 

"Não tem motivo, entendeu? Qualquer coisa que ele fizesse não tem motivo pra matar, entendeu? Se ele tivesse traficando, tinha que ser preso. (...) Qualquer coisa que ele tivesse fazendo não tem motivo pra matar uma pessoa (...)", disse a fotógrafa Marcela Paiva, namorada de Allan. 

A polícia também informou que seguranças entregaram uma embalagem com drogas afirmando que foi encontrada com a vítima. Junto ao corpo, não havia qualquer tipo de droga, conforme a polícia. Os militares também disseram que, quando chegaram ao local, uma equipe médica tentava reanimar Allan. 

Na manhã, dois funcionários da boate prestavam esclarecimentos na 126ª Companhia da PM, no Estoril. Parentes também estiveram no local. Na parte da tarde, a Polícia Civil já havia assumido o caso e informou que um segurança e um amigo da família eram ouvidos como testemunhas por um delegado. Ninguém foi preso. O velório e enterro aconteceram em Sete Lagoas, sua cidade natal.

 

 

Hangar 667 tem histórico de agressão aos clientes por seguranças

Pouco mais de um ano após a casa de shows completar um ano de existência, vários são os casos de agressões ocorridas no Hangar 677. Segundo o delegado Flávio Grossi, titular da 4ª Delegacia de Polícia Civil do Barreiro, pelo menos cinco agressões tiveram algum tipo de ligação com o estabelecimento no período de um mês e meio, no ano passado.

No dia 2 de novembro do ano passado, um estudante de direito de 22 anos foi agredido com uma barra de ferro dentro do local. Dois meses antes, o estudante de medicina Henrique Papini, 22, foi espancado a cerca de 500 metros da casa. “Em todos os casos, os envolvidos estavam dentro da boate, na saída ou na entrada”, detalhou Grossi.

Em nota envida à imprensa na tarde deste sábado, a assessoria da boate informou que o jovem reagiu a uma abordagem, após suspeita de uso de drogas, e desmaiou (veja na íntegra, abaixo) e que foram feitas tentativas de reanimação por médicos.

"Com relação às notícias que vem sendo veiculadas na imprensa sobre a morte do jovem Allan Guimarães Pontelo, temos a esclarecer: - Os seguranças foram alertados sobre um jovem suspeito de fazer uso de drogas no banheiro do local. - Ao ser abordado, o jovem reagiu e tentou fugir, mas foi conduzido para fora do evento, quando desmaiou. - Ele foi imediatamente socorrido e conduzido ao Posto Médico de plantão, que conta inclusive, com UTI Móvel, sendo atendido pelo Dr. Pedro Henrique. Todos os esforços médicos possíveis foram utilizados no sentido de reanimá-lo. - O SAMU também foi acionado e chegou ao local com duas unidades. Infelizmente, a equipe de atendimento também tentou, sem sucesso. - Tais fatos estão sendo investigados e apurados pelas autoridades competentes, chamadas ao local pela gerência.

Estamos à disposição das autoridades para os esclarecimentos que se fizerem necessários. Lamentamos profundamente o ocorrido e aguardamos os esclarecimentos dos fatos".

 

Internautas protestam em página de boate após morte de fisiculturista

Poucas horas após o fisiculturista Allan Guimarães Pontello morrer na boate Hangar 677, na madrugada do sábado (2), várias pessoas já protestavam na página do Facebook da casa, reclamando, na maior parte dos posts, contra o tratamento dos seguranças.

Numa das mensagens, inclusive, um internauta fala de “seguranças assassinos, que ao invés de proteger e garantir a segurança de todos, te faz sentir medo”. Em seguida, diz esperar que “paguem muito caro por terem tirado a vida desses meninos, e de forma tão cruel”. O post refere-se à versão em que o fisiculturista teria sido levado pelos seguranças e aparecido morto, feita por amigos de Allan.

De acordo com o depoimento dos seguranças à Polícia Militar, Allan foi flagrado usando drogas e teria tentando fugir, sofrendo um ataque cardíaco.

“Vocês têm noção disso? Fechar, ser preso e pagar uma multa indenizatória altíssima pras famílias é o mínimo, e é muito pouco”, prossegue um post. Outro internauta postou que a morte aconteceu “por mais uma abordagem dos 'seguranças' bandidos armados que a casa emprega”.

Na própria página da Hangar 677 foi criada a hastag #forahangar677, enquanto outros reclamavam da falta de uma declaração oficial da casa, localizada no bairro Olhos d'Água, região Oeste de Belo Horizonte. “Não há um comentário por parte do empreendimento. Acho isso impressionante”, escreve outro.

            

COMENTE

Mande sua opinião


Nome:

E-mail:

Telefone:

Mensagem:
;

 

 

Mais Notícias

» Festa no Othon Palace de BH estaria discriminando pessoas através de suposta lista de reservas  

» Casamento de Juliana Salimeni e Felipe Franco chega ao fim

» Boates que viraram espeterias em Contagem estão super bombando 

» DJ Rob Phillips agita a festa I Love Mahal no Niágara em Nova Lima

» Barretos 2017 termina com show de Gusttavo Lima e churrascão no palco

» BH ganha a boate itinerante "Kubik" (Alemanha) no bairro Olhos D'água

» Guiga Barbieri, de Minas Gerais, vence a 37ª edição do Miss Brasil Gay 2017

» Thiago Abravanel agita a festa do Projeto Proação no Minascentro em BH

» Modelo sensação, chamado de Justin Bieber do Vidigal por Anitta, rouba a cena em clipe

» Monalysa Alcântara é eleita Miss Brasil 2017 em Ilhabela-SP

» Concurso Garoto & Garota Terê escolhe os finalistas de 2017

   
  

 

 

 FERVECAO.COM - Copyright (c)